Pages

segunda-feira, 20 de maio de 2019

12 benefícios da maçã para a saúde



A maçã é o pseudofruto pomáceo da macieira (Malus domestica), árvore da família Rosaceae. É um dos pseudofrutos de árvore mais cultivados, e o mais conhecido dos muitos membros do gênero Malus que são usados ​​pelos seres humanos. 

As maçãs crescem em pequenas árvores, de folha caducifólia que florescem na Primavera e produzem fruto no Outono. A árvore é originária da Ásia Ocidental, onde o seu ancestral selvagem, Malus sieversii, ainda é encontrado atualmente. As maçãs têm sido cultivadas há milhares de anos na Ásia e Europa, tendo sido trazidas para a América do Norte pelos colonizadores europeus. 


As maçãs têm estado presentes na mitologia e religiões de muitas culturas, incluindo as tradições nórdica, grega e cristã. Em 2010, o genoma da fruta foi descodificado, levando a uma nova compreensão no controle de doenças e na reprodução seletiva durante a produção da maçã.

Existem mais de 7.500 plantações conhecidas de maçãs, resultando numa gama de características desejadas.

Maçã vermelha.
Classificação científica
Reino:Plantae
Clado:angiospérmicas
Clado:eudicotiledóneas
Clado:rosídeas
Ordem:Rosales
Família:Rosaceae
Subfamília:Maloideae
Género:Malus


15 benefícios da maçã para a saúde

A fruta pode contribuir bastante com a saúde de quem a consome. Os benefícios da maçã abrangem o bem-estar do organismo, da pele e muito mais.

Consumi-la ajuda a evitar doenças. A polpa e a casca são ricas em vitamina C, cálcio, fósforo, potássio, fibras, antioxidantes, enfim, só vantagens!


Vamos lá para os principais benefícios:

1. Ajuda a reduzir o colesterol ruim (LDL)
Tudo isso graças à pectina, um tipo de fibra solúvel encontrada na casca da maçã. Mas fique atento, pois, ao retirar a casca, essa substância é totalmente eliminada do alimento e seus benefícios vão embora, também.

2. Evita o envelhecimento precoce
A maçã possui muitos antioxidantes, que combatem os radicais livres e protegem todas as células do corpo contra inúmeros agentes que causam doenças e o envelhecimento precoce. “Suas propriedades antioxidantes blindam nosso coração e previnem certos tipos de câncer, como o de cólon e mama”, aponta Roberta.

3. Protege a voz e a garganta
Como a maçã é rica em taninos e flavonoides, fitonutrientes que, entre diversas ações, atuam como adstringente a fruta auxilia na limpeza da boca e faringe. E acaba por contribuir com a saúde da voz.

4. Fortalece o sistema imunológico
O responsável por isso é a quercitina, antioxidante que apresenta uma importante ação anti-inflamatória, além de contribuir para eliminar os radicais livres do organismo.

5. Ajuda o sistema digestivo
Por conta das boas quantidades de pectina, taninos, ácido málico e flavonoides, presentes na maçã, essas substâncias contribuem no alívio dos problemas no sistema digestivo, como diarreia, constipação intestinal, entre outros. Nesse caso, o indicado é consumir a maçã assada ou cozida, e até mesmo o chá de maçã.

6. Previne o derrame cerebral
Foi o que apontou um estudo da Universidade de Wageningen, na Holanda. Ao longo de dez anos, os pesquisadores acompanharam grupos de pessoas entre 20 e 65 anos. A conclusão da pesquisa apontou que aqueles indivíduos que consumiam alimentos de polpa branca, como a maçã, tinham 52% menos chances de desenvolver um AVC. Tudo isso por conta da alta concentração de fibras e vitaminas B, C e E.

7. Combate à anemia
Por ser rica em ferro, a maçã pode ser uma aliada para quem estiver passando por problemas de anemia. Além disso, a fruta também apresenta boas quantidades de vitamina C, elemento essencial para a boa absorção do ferro no organismo.

8. Dentes fortes e cérebro saudável
A maçã também pode ajudar nesses dois quesitos. Isso porque a fruta é rica em fósforo, mineral essencial para a estrutura óssea do corpo, assim como para o sistema nervoso.

9. Ajuda a emagrecer 
As fibras encontradas na casca da maçã podem ajudar também a aumentar a sensação de saciedade, o que reduz as chances de ingerir alimentos em maior quantidade e, como consequência, contribui para o processo de perda de peso – se estiver seguindo uma boa dieta.

10. Alivia gastrite e úlceras
A quercitina (presente na maçã), ao formar um gel que protege a mucosa intestinal, torna-se uma boa aliada no processo de gastrite e úlceras gástricas.

11. Fortalece o sistema respiratório:
As maçãs são ricas em antioxidantes que podem proteger os pulmões. Um estudo realizado pela Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health, nos Estados Unidos, mostrou que comer três maçãs por dia ajuda a amenizar o declínio natural das funções do pulmão e repara os danos causados pelo cigarro.

12. Diminui o risco de ter diabetes tipo 2:
A maçã é boa por ser fonte de diversas vitaminas, mas, na dieta de quem tem diabetes, o que ganha destaque é uma fibra chamada pectina, que se mostra eficiente no controle da glicemia.

Aproveite todos os benefícios da maçã
Para manter todas as benfeitorias da maçã, o ideal é consumir 1 porção da fruta por dia. E não ultrapasse essa quantidade, já que a ingestão em excesso pode engordar, levar ao aumento de açúcar no sangue, reações alérgicas, entre outros.

Fontes:

http://arevistadamulher.com.br
https://www.minhavida.com.br
https://pt.wikipedia.org

quarta-feira, 15 de maio de 2019

Conheça Detalhes Íntimos do Curioso Mundo da Reprodução Animal

Você já deve ter ouvido muitas vezes aquele breve resumo da jornada de todo ser vivo: nascer, crescer, reproduzir-se e morrer. Embora os animais também sejam seres que precisam seguir essa máxima, precisamos nos lembrar de que o que entendemos por sexo (e, consequentemente, a gestação e o nascimento de filhotes) não se aplica no mundo animal.
Por mais estranhas que sejam algumas das práticas que acontecem entre humanos, os animais mantêm peculiaridades interessantes. Elas vão desde fêmeas que matam seus parceiros logo após a cópula até animais que mudam de sexo durante a vida para ajudar na sobrevivência da espécie.
Confira com detalhes como funciona a reprodução de alguns animais e deixe um comentário caso você saiba de mais alguma curiosidade sobre a intimidade dos bichos.

Girafas

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock


Para começarmos, aqui vai um hábito bem esquisito das girafas: os machos costumam beber a urina das fêmeas logo antes de fazerem sexo. Segundo os especialistas, essa é a maneira com que as girafas identificam se as fêmeas estão o cio, ou seja, se é o momento mais adequado para que ela seja fecundada com sucesso.
Além disso, que comum que apenas um macho do bando cruze com todas as fêmeas. E sabe quem sai ganhando? Em geral, o macho com o pescoço mais comprido é o felizardo. Porém, vale lembrar que quando não estão envolvidos com a fecundação das fêmeas, as girafas macho fazem sexo entre si, com uma estimativa de que 74% a 94% das relações das girafas aconteçam entre os machos. A gestação das girafas dura pelo menos 13 meses e elas dão a luz em pé.

Abelhas

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock
No reino das abelhas, apenas a abelha-rainha é quem se dá bem. Depois de lutar contra suas rivais e alcançar o posto mais alto da colmeia, a rainha tem o privilégio de escolher os machos com que deseja acasalar. Raro de acontecer e com um final trágico, a cópula das abelhas (e a vida do zangão) acaba quando a genitália do macho se quebra dentro da sua parceira.  Mesmo assim, a abelha-rainha continua a cruzar com outros zangões, podendo chegar a ser fertilizada por até 40 machos. Depois disso, todo o sêmen fica armazenado e será usado para fertilizar os ovos pelo resto de sua vida.

Viúvas-negras

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock
Assim como as abelhas, as viúvas-negras são acusadas de matarem seus parceiros após o sexo. Mas, justiça seja feita, os especialistas lembram que, de todas as espécies de viúvas-negras do mundo, apenas uma delas – que vive no Hemisfério Sul – pratica o canibalismo frequentemente. Das três espécies nativas da América, uma delas pode chegar a devorar seu parceiro, mas somente em casos isolados. De qualquer maneira, é interessante notar que o canibalismo pós-coito é um fenômeno bastante raro na natureza.

Hienas

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock
As hienas possuem algumas das particularidades mais interessantes dessa lista. Por isso, na próxima vez em que você encontrar com uma delas, saiba como identificar se se trata de uma fêmea ou um macho. (Já que algumas pessoas chegam até a pensar que as hienas são hermafroditas!)
Como acontece com outras fêmeas mamíferas, as hienas apresentam útero, ovários, mamas, lábios e clitóris. O interessante nesses animais é justamente o clitóris, que é uma estrutura longa e que fica frequentemente ereta, o que pode fazer com que algum desavisado pense que se trata de um macho mais alegrinho. Já os lábios que circundam o clitóris são formados por um tecido com dobras que se assemelham ao saco escrotal. Fácil de confundir, não é mesmo?!
Além disso, as hienas fêmeas usam o clitóris – que também é chamado de pseudo-pênis devido à sua semelhança – para urinar, copular e dar a luz a seus filhotes. Isso significa que o macho encaixa seu pênis diretamente nessa estrutura, que perde a ereção e fica flácida e elástica durante o acasalamento. O mesmo acontece quando as hienas têm seus filhotes.

Pássaros

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock
Por mais estranho que possa parecer, o pseudo-pênis é uma característica que aparece em outras espécies de animais, como os lêmures, os macacos-esquilos e alguns tipos de pássaros. No entanto, a diferença entre as aves é que são os machos que apresentam essa estrutura, já que mais de 97% dos pássaros não têm um pênis ou qualquer órgão fálico.
Durante o acasalamento, os animais pressionam suas traseiras para que o macho possa depositar o esperma na cloaca da fêmea através de um ato que se assemelha a um “beijo”. A cloaca da fêmea funciona de maneira semelhante ao clitóris da hiena e também serve para urinar, defecar e pôr ovos.

Peixe-palhaço e algumas espécies de sapos

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock
Na busca pela preservação da espécie, alguns animais chegam até mesmo a mudar de sexo durante a vida. O peixe-palhaço, por exemplo, nasce macho, mas pode acabar virando fêmea em sua fase adulta, se necessário. Isso acontece porque os peixes-palhaços se organizam em um grupo em que apenas um casal pode fazer copular. Então, quando a família morre, um dos membros adultos se transforma em fêmea para manter o ciclo.
Um fenômeno bastante semelhante acontece com algumas espécies de sapos. A diferença é que os anfíbios podem se transformar em machos ou fêmeas, escolhendo sempre a opção mais conveniente para garantir o sucesso da reprodução do grupo todo.

Cangurus

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock
Abundância é a palavra de ordem quando pensamos na reprodução dos cangurus. Isso porque as fêmeas da espécie têm dois úteros e três vaginas. Dessas, duas são usadas para acasalamento e a terceira serve exclusivamente para dar a luz aos bebês. Já os machos possuem um pênis bifurcado para que possam fecundar as fêmeas com sucesso, sendo que cada uma das pontas entra em uma das vaginas do canguru fêmea. Diferentemente de outros mamíferos, a gestação desses marsupiais dura apenas um mês. Em seguida, o filhote é expulso do corpo da mãe e passa a viver na bolsa pelo tempo que for necessário para que possa se desenvolver completamente.
Fonte: www.megacurioso.com

quarta-feira, 8 de maio de 2019

É verdade que existe um Escorpião Voador???

A resposta é simples SIM e NÃO. Caaaalma que eu vou explicar.

Vamos primeiro entender a história: apesar de imagens do bicho já rolaram a algum tempo na rede, foi apenas no ano passado que ganhou repercussão, quando um americano fez algumas publicações no fórum Reddit e no Imgur postando a foto do bicho que segundo ele tinha sido encontrado na sua casa. Lá se afirmava que se tratava de uma nova espécie de escorpião que tinha surgido na Austrália e que tava se espalhando pelo mundo de forma descontrolada.

Depois disso já se sabia o que ia acontecer... Várias notícias bombaram na internet, inclusive dizendo que muitas pessoas já haviam morrido depois de serem picados pelo inseto. Inclusive houve até quem dissesse que o "escorpião voador" já tinha sido encontrado na Amazônia brasileira.

Agora, vamos explicar o porque do SIM e do NÃO em minha resposta.

Confesso que quando vi a postagem, fiquei bem curioso, mas como sabemos que a internet é cheia de fake news, fui pesquisar.

Não é que o bicho existe mesmo! Por isso o SIM na resposta. Mas e o NÃO?
Existe sim, mas não é nenhuma espécie nova, muito menos de escorpião. Ele já foi uma mosca, isso mesmo que você ouviu e até hoje é conhecido com mosca-escorpião. Mais abaixo eu explico.

Mas e aquele ferrão na cauda??? Não é um ferrão e nem uma cauda. Apesar de parecer e muito com o aguilhão dos escorpiões, trata-se apenas do órgão sexual do inseto, ou seja, o pênis.

O nome científico deste inseto é Panorpa Communis (veja que o chamo de inseto e não de aracnídeo, classe a qual pertence os escorpiões). Ele pertence a ordem Mecóptera, e como todo bom mecóptero, não tem veneno e alimenta-se apenas de insetos mortos, néctar e frutas podres, o que o torna inofensivo ao ser humano.

Até 1886, os mecópteros eram considerados membros da ordem Diptera, que inclui as moscas e os mosquitos, estando a primeira referência à eles presente no livro “De animalibus insectis libri septem, cum singulorum iconibus ad vivum expressis”, publicado em 1602 por Ulisse Aldrovandi.(Informação obtida na Wikipedia)

Atualmente, os Mecopteros (do grego Mecos= longo, e ptera= asas),  constituem uma nova ordem de insetos relativamente pequena, com aproximadamente 550 espécies descritas, das quais 90% pertence às famílias Panorpidae e Bittacidae, sendo muito comuns no hemisfério norte. Entretanto, há um total de 9 famílias já identificadas

Como diria o Chapolin Colorado, "palma, palma, não priemos cânico". Como vimos não é nenhuma nova espécie que chegou para por fim a humanidade. Pode dormir sossegado, pois ainda não é o apocalipse.

P.S.: nas minhas pesquisas encontrei pessoas dizendo que a ferroada deste inseto transformava as pessoas em zumbis. Não sei o que eles fumaram, mas acho que  estão levando The Walking Dead muito a sério kkkkk.

Um abraço e até a próxima postagem.

Fontes:
https://www.wikipedia.org
https://www.nature.com
https://science.sciencemag.org






terça-feira, 30 de abril de 2019

As 11 aranhas mais perigosas e mais venenosas do mundo!

Compartilho com vocês uma postagem do site Megacurioso que mostra as aranhas mais perigosas do mundo.
--------

Ah, as aranhas! Esses aracnídeos certamente não estão entre os animais mais queridos pelas pessoas, exceto pelos entusiastas de plantão ou por alguns biólogos. Espalhadas por todos os cantos do mundo, são difíceis os lugares que estão completamente ausentes desses artrópodes peludos e de oito patas.
Enquanto algumas espécies são bastante inofensivas e sem qualquer tipo de veneno, existem aquelas verdadeiramente perigosas – que podem matar os homens brutamontes com algumas picadas. Pensando nisso, separamos aqui alguns desses exemplos temidos de aranhas das quais você certamente não quer se aproximar em qualquer situação (fique ciente de que o Brasil e a Austrália abrigam o maior número de aranhas venenosas do mundo):

1 – Aranhas-de-pés-pretos


Essas aranhas não são muito venenosas, apesar de carregarem boas quantidades de veneno. Não se preocupe: caso você seja picado por elas, dificilmente irá morrer ou ter complicações sérias. Entretanto, em alguns casos mais graves, as picadas delas podem causar necroses ao redor do local mordido. Felizmente, elas só vivem no sul dos Estados Unidos.

2 – Tarântulas-ornamentais

Esse tipo de tarântula é mais comum perto dos trópicos e em regiões de muito calor. Grande parte das tarântulas não possui qualquer tipo de veneno e elas são consideradas bastante calmas – apesar de, independente disso, suas mordidas serem extremamente dolorosas. Porém, já foi reportado que algumas picadas de tarântulas-ornamentais (Fringed Ornamental Tarantula, em inglês) fizeram com que as vítimas entrassem em coma.

3 – Aranhas-chinesas

Englobam diversas espécies e também são conhecidas como aranhas-de-pássaros, sendo artrópodes bem grandes e que, em alguns casos, ultrapassam os 10 centímetros. O veneno delas é capaz de matar pequenos mamíferos e crianças – por isso, o cuidado com os bebês deve ser redobrado nas regiões em que elas existem (já que costumam atacar espontaneamente). Felizmente, elas vivem somente no sul asiático.

4 – Aranhas-de-ratos


Popularmente conhecidas por esse nome, elas podem ser encontradas somente na Austrália. As fêmeas são totalmente pretas e possuem as presas vermelhas – um bom aviso do perigo que existe por ali. Elas não são agressivas, porém já aconteceram vários casos de mordidas. Por sorte, apesar do veneno poderoso que carregam, muitas vezes as picadas delas são "secas", ou seja, sem liberar as toxinas.

5 – Aranhas-reclusas

Encontradas no sul dos Estados Unidos e no oeste da América do Sul, essas aranhas são consideradas bastante venenosas. Por sorte, nós não precisamos nos preocupar muito com elas, já que suas presas são bem pequenas e não conseguem penetrar nas roupas de tecidos mais finos – restando somente alguns pobres animais de vítimas para elas.

6 – Aranhas-das-costas-vermelhas

Esses aracnídeos só podem ser encontrados em terras australianas. Parentes da viúva-negra, elas também são muito tóxicas. Antes que um antídoto fosse desenvolvido, as aranhas-de-costas-vermelhas mataram mais de 15 pessoas naquele país (pelo menos, que foram identificadas como mordidas por elas). Entre os sintomas, estão tonturas, fortes dores de cabeças, tremores, vômitos, entre outros.

7 – Viúva-negra

A viúva-negra é uma espécie de aranha que vive nas Américas, inclusive no Brasil, especialmente nas costas dos continentes. A fêmea possui coloração negra brilhante, com larga mancha vermelha em forma de ampulheta na superfície ventral do abdômen. A sua picada pode ser fatal e é considerada extremamente dolorosa.

8 – Aranhas-teias-de-funil

Típicas da Austrália, essas aranhas são conhecidas por ter presas bem grandes que podem chegar a 2 centímetros. O veneno que carregam é muito poderoso, considerado um dos mais fatais do mundo. Apesar de existir um antídoto para o veneno, ele deve ser aplicado rapidamente (em questão de horas), já que as pessoas podem ter sequelas permanentes ou entrar em óbito.

9 – Aranhas-de-areia

Felizmente, esses aracnídeos estão em áreas desérticas e pouco habitadas por nós humanos, como os desertos da África e Ásia. O veneno é bastante poderoso, de efeito semelhante ao proporcionado pelas aranhas-reclusas, porém não possui qualquer tipo de antídoto. As picadas causam necrose do tecido cutâneo e sangramento pelos orifícios do corpo e podem levar à morte.

10 – Aranhas-marrons

Popularmente conhecidas no Brasil, elas são famosas por suas picadas necrosantes e dolorosas – que em alguns casos podem trazer problemas irreversíveis se não forem tratadas rapidamente. Não são grandes (possuem entre 4 e 6 centímetros) e são bastante discretas, pois também não costumam atacar.
Só picam quando se sentem confrontadas, quando entramos em contato direto com elas. O veneno é bastante poderoso, porém age de um modo mais lento, o que garante um tratamento antes do necrosamento dos membros.

11 – Aranhas-armadeiras

As armadeiras são consideras as aranhas mais venenosas e fatais do planeta segundo o Guiness Book. E, infelizmente, são extremamente comuns em todo território brasileiro. Elas têm em média um corpo de 5 centímetros e patas de até 17 centímetros, carregando doses de veneno extremamente fatais (para se ter noção, somente 0,006 mg é suficiente para matar um rato).
É a segunda aranha que mais causa acidentes no Brasil, atrás apenas das aranhas-marrons. Contudo, diferentemente dessas últimas, as armadeiras são bastante agressivas, atacando por vontade própria. Mais de 7 mil casos já foram registrados no país, porém poucas mortes aconteceram, já que os antídotos são bastante comuns e eficientes.
Parece que nem os brasileiros nem os australianos têm muita sorte com as aranhas venenosas, já que grande parte delas vive nesses territórios. E você, conhece outras espécies que não foram listadas? Se sim, compartilhe nos comentários.

Fonte: https://www.megacurioso.com.br

quinta-feira, 21 de março de 2019

12 animais esquisitos ameaçados de extinção

Que os últimos exemplares de onça-pintada e urso-panda estão sumindo aos poucos do mapa, todo mundo já sabe. Mas com tanta espécie no reino animal, já era de se esperar que houvesse dúzias de bichos ameaçados de extinção dos quais você ainda não tinha ouvido falar. Graças à SUPER, você conhece hoje alguns desses animais antes que eles sumam de vez.

12. Dugongo

Parente do peixe-boi e da vaca-marinha, este mamífero herbívoro se alimenta de algas marinhas que crescem no fundo do mar. Possui uma “tromba”, que na verdade é uma boca muito flexível que permite que o dugongo nade olhando para frente enquanto come a sua graminha. Esses animais se espalhavam pelos oceanos Pacífico e Índico, sempre perto da costa, mas agora sua presença se restringe a locais perto da Austrália – a Grande Barreira de Corais e o Estreito de Torres. Esta espécie está ameçada por causa de sua carne e seu óleo. Seu parente mais próximo era o Dugongo de Steller, que foi extinto no século XVIII.

11. Axolote

Atenção, este animal não é um pokémon! É um tipo de salamandra aquática bonitinha e sorridente. Além de ser megafofo, o axolote tem uma capacidade de regeneração digna de um X-men: quando ele se machuca ou perde alguma parte do seu corpo que não seja vital (uma patinha, por exemplo), ele para de sangrar em poucos segundos e a parte perdida volta a crescer super rápido. Seu único habitat são os lagos próximos à Cidade do México e eles estão sendo dizimados ainda bebês (ok, girinos) por espécies introduzidas nos lagos, como a carpa asiática e a tilápia africana. A poluição dos lagos, assim como sua drenagem, também têm ameaçado seriamente a espécie.

10. Bicho-preguiça

Este animal você com certeza já conhece. A preguiça é da mesma família dos tamanduás e dos tatus, mas ao contrário de seus irmãos, ela curte mesmo o topo de uma árvore. É por lá que ela faz de tudo: se alimenta, reproduz, cuida dos filhotes e dorme 14 horas por dia! Natural da América, é encontrada em florestas tropicais da América Central até o norte da Argentina. Ainda que sejam animais MUITO lentos no geral, as preguiças são exímias nadadoras. Atualmente, seu maior predador é o homem, que os caça e vende como animais de estimação – o bicho preguiça tem metabolismo lento e não consegue combater doenças comuns do meio urbano, por isso, descarte-a como animal de estimação! A destruição das florestas também ameaça a sua existência.

9. Sapo Roxo

Esse sapo é um dos mais raros do mundo! Sua espécie só foi descoberta em 2003 no sul da Índia. Muito reclusos, eles só passam 2 semanas por ano ao ar livre, durante as monções, para procriarem. Os sapos roxos passam o resto do tempo comendo cupins, enterrados em buracos a mais de 3 metros abaixo da superfície. Este sapo também é considerado um fóssil vivo, pois sua origem remonta à época em que as ilhas Seichelles, Madagascar e Índia ainda eram uma grande massa de terra – há 100 milhões de anos!

8. Salamandra gigante da China

A maior espécie de salamandra do mundo é essencialmente aquática e tem o metabolismo MUITO lento, podendo ficar semanas sem se alimentar. Caçada para servir como animal de estimação (!) e por causa de sua carne, esta salamandra também corre perigo de extinção por causa do uso de pesticidas, da construção de barragens e da destruição de florestas na China.

7. Caranguejo-do-coqueiro

Também conhecido como “ladrão-de-coco”, esse caranguejo ENORME se alimenta de cocos e vive pelos coqueiros em ilhas tropicais do Oceano Pacífico e Índico. Ele não é exatamente um animal ameaçado de extinção. Mas como as ilhas vulcânicas onde ele vive estão sendo constantemente devastadas (e podem vir a sumir do mapa caso as calotas polares derretam de verdade), incluimos os caranguejos-do-coqueiro nesta lista.

6. Sapo de vidro

Não é uma ilusão de ótica. A pele abdominal desse sapo é mesmo transparente. Ele vive em florestas tropicais na América Central e também na Amazônia e no Pantanal. Os sapos de vidro vivem em árvores, por isso a devastação das florestas significa também o fim dessa espécie tão legal.

5. Ornitorrinco

Uma das únicas duas espécies remanescentes de mamíferos que botam ovos no mundo, o ornitorrinco é bizarrinho por ter bico de pato e cauda de castor. A fêmea não possui mamas – os filhotes lambem o leite direto de seus poros no abdômen. Os machos possuem esporões venenosos nas quatro patas. Natural da Austrália, o ornitorrinco é encontrado próximo à costa leste do continente. Está ameaçado de extinção por causa da destruição de seu habitat natural. Ainda que seja uma espécie protegida, são comuns casos de afogamento de ornitorrincos em redes de pesca nos rios.

4. Équidna

A outra espécie de mamífero que bota ovos é a équidna. Olhando de longe, ela bem parece um ouriço terreste, mas quem jogava os joguinhos do personagem Knuckles, da série Sonic, conhece bem este bicho. Assim como o tamanduá, as equidnas possuem um focinho longo, uma lingua pegajosa e se alimentam de formigas e cupins. Os machos da espécie têm um pênis de quatro cabeças (!) e a fêmea tem duas “entradas”. Durante a cópula, duas das cabeças “fecham” e as outras duas “fazem o trabalho” e liberam sêmen. A espécie é encontrada na Nova Guiné e na Austrália.

3. Tamboril

Este peixe monstruoso e geralmente bioluminescente vive no fundo dos oceanos. A fêmea é que é a dona da parada. Ela é 20 vezes maior que o macho e caça utilizando um ou mais filamentos que saem de sua cabeça e que brilham, atraindo peixes incautos que são engolidos inteiros. Já o macho fica “grudado” à fêmea, que vai se alimentando lentamente dele até que ela consegue seu esperma e o mata de vez. Os machos nascem com um sentido de olfato muito apurado e só vivem para encontrar a fêmea e grudar nela.

2. Proteus

Este anfíbio vive em cavernas no Leste Europeu. Ele é cego, tem uma pele similar à humana, vive até 100 anos de idade e pode ficar até 10 anos sem se alimentar! A destruição das cavernas e o seu uso como “depósitos de lixo” ameaçam essa espécie. Na Croácia, muitas cavernas em bom estado de conservação estão para ser inundadas e darão espaço a usinas hidroelétricas, destruindo os proteus e outras espécies do meio.

1. Lagartas lésbicas

A espécie Cnemidophorus uniparens só possui exemplares fêmeas. Essas lagartas “forçadamente lésbicas” se reproduzem por partenogênese, ou seja, pela produção de ovos sem fecundação, só com os genes da mãe. Ainda sim, essas lagartas se reproduzem melhor quando possuem parceiras. Uma delas sobre na outra, morde seu pescoço, arranha, se enrosca na outra (oi, sexo) e faz com que a fêmea “passiva” gere mais ovos do que se fizesse o processo sozinha. Mistérios do mundo animal. Elas vivem no deserto dos EUA e são ameaçadas pela degradação do ambiente, poluição e expansão das cidades.

Bônus: sapo que faz “quack”

Essa espécie australiana tem um coacho similar ao “quack quack” de patos! Ele está ameaçado pela poluição, pela drenagem de rios, criação de barragens e outras ações do homem que modificam seu habitat.

Fonte:

https://super.abril.com.br

 

Blogger news

Nº de Visualizações

About