Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2011

Cajarana - Spondias Lutea

Imagem
Árvore Altura comercial: 8,80 m; Diâmetro (DAP): 58,53 cm; Tronco: retilíneo/tortuoso. Características Gerais Cerne/alburno: indistintos; Cor: branco (2,5Y 8/2); Obs: a cor é alterada para cinza-claro 5Y7/2), devido ao ataque de fungos; Camadas de crescimento: indistintas; Grã: direita; Textura: média; Figura tangencial: pouco destacada, causada pelas linhas vasculares; Figura radial: pouco destacada, causada pelos raios; Obs.: podem ocorrer manchas acinzentadas, causadas pelo ataque de fungos; Brilho: ausente; Cheiro: imperceptível; Resistência ao corte manual: macia. A espécie  Spondias lutea L. apresenta como  centro de origem a América Tropical e se encontra amplamente distribuída no Brasil (PINTO et al., 2004). São encontradas isoladas ou agrupadas, notadamente em regiões da Amazônia e da Mata Atlântica, prováveis zonas de dispersão da espécie, e nas zonas mais úmidas dos Estados do Nordeste (SOUZA  et al., 2000). No estado  de Sergipe, observa-se uma ampla distribui

Mofumbo - Combretum leprosum

Imagem
Mofumbo  é uma árvore  brasileira  nativa da  caatinga , no Nordeste, desde o Piauí até a Bahia, e no  Pantanal  Matogrossense (nos  cerradões  e matas semidecíduas). O nome mofumbo é comum no Nordeste. No  Mato Grosso do Sul  é conhecida como  carne-de-vaca . Características A árvore chega a 5 m de altura, o tronco a 60 cm de diâmetro e sua copa é globosa. Na caatinga e no  cerrado  seco seu tamanho é menor, como um  arbusto . As  folhas , simples, são opostas, com pontuações brancas - daí o nome da espécie - em ambas as faces, nervação levemente saliente. As  inflorescências , em  panículas  de rácemos terminais e axilares, têm flores ligeiramente amareladas. O fruto é uma  sâmara  alada, de cor palha. Ecologia Semidecídua, heliófita, seletiva xerófita, é uma planta pioneira, exclusiva das matas secundárias secas. Sua dispersão é descontínua, mas sua freqüência é elevada. Prefere terrenos argilosos, calcários, bem drenados e férteis. Floresce de outubro a dezembro e os frutos amadu

Jurema - Mimosa hostilis

Imagem
A Jurema é uma planta da família das leguminosas , comum no Nordeste brasileiro, com propriedades psicoativas . A família das leguminosas possui importantes espécies cultivadas para alimentação inclusive do nordestino ( Mangalô , Andu , Algaroba além de Feijões de diversas espécies incluindo a Soja – a subfamília Faboidea ou Fabaceae) e exerce importante função ecológica por abrigar espécies de bactérias nitrificantes ou seja que fixam nitrogênio, essencial para a vida, no solo. O termo Jurema designa várias espécies de Leguminosas dos gêneros Mimosa , Acácia e Pithecelobium . No gênero Mimosa, cita-se a Mimosa hostilis Benth., a Mimosa Verrucosa Benth e a Mimosa tenuiflora. No gênero Acácia identifica-se a Acacia piauhyensis Benth, ou Acácia jurema, além disso várias espécies do gênero Pithecellobium também são designadas por esse mesmo nome. A classificação popular distingue a Jurema branca e Jurema preta. Para Sangirardi Jr.(o.c.) a Jurema preta é a M. hostilis ou M. nigra, a

Pitombeira - Talisia esculenta

Imagem
A árvore de T. esculenta, popularmente conhecida como pitombeira, apresenta  porte lenhoso, com altura entre 6 e 12 m e tronco entre 30 e 40 cm de diâmetro. A  espécie é encontrada no interior da mata densa primária e também em formações  secundárias, mas sempre em várzeas aluviais e fundos de vales (LORENZI, 2000).  Seus  frutos são quase globosos, granulados, apiculados e pouco pubescentes, pulverulentos,  amarelados e com resíduos do cálice, geralmente monospérmicos.  As sementes são  alongadas, com testa avermelhada depois de retiradas dos frutos e escura quando seca,  envolvida por arilo róseo-esbranquiçado, comestível, cotilédones espessos, quase iguais,  superpostos (GUARIM NETO et al., 2003).  A espécie tem grande interesse ecológico e  econômico, sendo os frutos e produtos derivados muitos utilizados na culinária regional. A polpa é utilizada in natura e na fabricação de compotas, geléias e doces em massa,  cujo sabor assemelha-se ao do damasco (Prunus armeniaca L.).