Lindos Pássaros Com As Mais Exuberantes e Coloridas Plumagens

Imagem
Um vídeo impressionante de diversos pássaros exibindo suas belíssimas plumagens coloridas está deixando os internautas boquiabertos! “Pássaros coloridos”, diz a legenda compartilhada junto com o clipe no Instagram. O vídeo, publicado há alguns dias, já recebeu mais de 100 milhões de visualizações, além de mais de 7 milhões de curtidas e milhares de comentários de internautas que ficaram impressionados com a beleza das aves. “Oh meu Deus, que beleza”, disse um usuário do Instagram. “Não há artista maior que Deus”, afirmou outro. “Mesmo com efeitos, são especiais”, comentou um terceiro internauta. “Criação divina é algo que esta além da nossa compreensão, tudo perfeito”, escreveu mais um. De acordo com o site Pet Helpful, a araracanga, também conhecida como arara-escarlate, é um dos pássaros mais coloridos do mundo. Nativa da América do Sul, essa arara de grande porte exibe cores vermelhas, amarelas e azuis muito proeminentes em suas plumagens. Fontes:  MSN | Hotmail, Notícias, Famosos,

Flores do gênero Dahlia.


Classificação:

  • Nome comum:Dália 
  • Família:Asteraceae 
  • Gênero:Dahlia 
  • Espécie:varias
  • Categoria:Perene 
  • Exposição:Sol Pleno 
  • Altura:30 a 150cm 
  • Origem:América Central, do México até a Colômbia 

Dahlia, nome comum dália, é um género botânico pertencente à família Asteraceae. É uma herbácea de porte médio, perene. Quando adulta, a planta chega a atingir até 1,50 metro. É originária do México, onde é muito popular. Os índios daquela região foram os primeiros a cultivar dálias, ainda no período do império Asteca. Por volta do final do século XVIII, o diretor do Jardim Botânico de Madri encantou-se com a flor, durante uma visita ao México. Foi o suficiente para que a dália atravessasse o oceano e chegasse à Europa, onde se adaptou muito bem ao clima temperado.

Foi o botânico sueco Anders Dahl, responsável pela expansão das dálias pela região nórdica da Europa, que inspirou o nome da flor. Os holandeses e os franceses foram os maiores incentivadores do cultivo e da produção de inúmeras espécies híbridas de dálias. Foi a imigração holandesa que contribuiu muito para a propagação desta flor no Brasil.

Hoje, graças ao surgimento de vários híbridos, podemos encontrar diversos tipos de dálias, o que resulta numa grande variedade de formas (pompom, bola, decorativa etc.) e cores (branca, alaranjada, vermelha, amarela, pink). São mais de 3.000 variedades resultantes de cruzamentos com outras espécies, como os crisântemos, por exemplo.

Dália rosa pôr do sol

Dália moonfire

Dália pom-pom

Dahlia Horst Athalie



Reprodução:

Por meio de sementes, estaquia das pontas dos ramos ou divisão das raízes tuberosas; sendo que esta última permite a propagação de um exemplar com características idênticas às da planta-mãe.

Cultivo:

  • Substrato ideal para o plantio: 2 partes de terra comum, 2 partes de terra vegetal e 1 parte de areia;
  • Clima ideal: ameno;
  • Luminosidade: em locais de clima frio, precisa de no mínimo 4 horas de sol pleno; já em clima quente, recomenda-se o cultivo à meia-sombra
  • Regas: manter o solo sempre úmido, sem encharcar;
  • Floração: produz flores isoladas na primavera e no verão, em várias cores;
  • Cuidados: necessita de proteção contra ventos e adubação orgânica a cada três meses.

Curiosidade:

Os astecas criavam e cultivavam dálias em seus jardins pela sua beleza, como comida para animais e propriedades medicinais muito antes dos espanhóis chegarem. Extratos de tubérculos eram utilizados para o tratamento de doenças renais. As dálias foram introduzidas na Europa no fim do século XVIII, e na metade do século XIX Europeus e Americanos desenvolveram uma paixão tão grande pela espécie que os preços dispararam, bem parecido com o ocorrido com as tulipas no século XVII.


Fontes:

http://www.sementesmm.com.br/
http://pt.wikipedia.org/







 





































Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Algumas flores encontradas no Nordeste.

Boa-noite - Catharanthus roseus.

Xique-Xique (Pilocereus gounellei)