Caatinga: Palma


Opuntia cochenillifera (ou: Nopalea cochenillifera, Nopalea coccinellifera, Cactus cochenilliferus e Cactus cochenillifer) é o nome científico da cactácea forrageira e comestível, de origem mexicana, largamente difundida no Nordeste brasileiro - recebendo o nome genérico de Palma.

Outros nomes:  urumbeta, cacto, cacto-de-cochonilha, palma-de-engorda, palma-miúda, palma-forrageira, palma-doce, palmatória-doce, nopal, cardo-de-cochonilha, cacto-sem-espinhos).

Seu uso varia desde a alimentação ao gado e humana, paisagístico e cerca-viva, como para a produção de corante natural, extraído de inseto parasita.

No Brasil, a  Opuntia sp. foi introduzida pelos portugueses, no período colonial, em meados do século XVIII, com o objetivo de desenvolver a criação de cochonilha para obter um pigmento carmin, muito utilizado nas indústrias de roupas, cosméticos, pinturas, medicamentos e alimentos. Diante do insucesso deste objetivo, a partir de 1900 esta planta passou a ser utilizada como forragem. 

CLASSIFICAÇÃO:

DIVISÃO:
Magnoliophyta
CLASSE:
Magnoliopsida
ORDEM:
Cactaceae
FAMÍLIA:
Nymphaeaceae
GÊNERO:
Opuntia Mill.
ESPÉCIE:
O. cochenillifera


Características:

Planta xeromorfa, possui caule cilíndrico e seus ramos (cladódios), conhecidos como palmas (ou raquetes, são achatados, carnosos e em formato oval.
 

Os ramos (palmas ou cladódios) são os responsáveis pela fotossíntese, uma vez que as folhas foram transmutadas nos espinhos que, nesta espécie, são esparsos e pequenos, e até ausentes.

Seus cladódios são menores que a espécie O. ficus-indica (figueira-da-índia), sendo esta comumente chamada de palma-grande, enquanto a cochenillifera é chamada de palma-pequena.
 

Frutificação: Os frutos são amarelos-avermelhados, suculentos, com aproximadamente 8 cm de comprimento, com tufos de diminutos espinhos.


O fruto da palma já é comercializado nos supermercados como "figo da índia". Tem um sabor muito bom e teor de proteína bastante alto.

Tanto o fruto como a utilização da palma como verdura e para fazer diversos outros pratos ainda é tratado com preconceito alimentar. Os textos que se referem à Palma aqui no Nordeste tratam-na sempre como forrageira e ela não é só forrageira. É antes disso um alimento humano.



Floração: ocorre durante todo o ano, com preferência ao período de setembro a março. As flores possuem tom avermelhado ou amarelado, com estames longos e róseos. Sua reprodução dá-se por estaquia ou sementes.

Cultivo:


Possui ciclo de vida perene, devendo ser cultivada em solos preferencialmente drenado, como o arenoso, e fértil (embora resista bem à infertilidade). Além do uso forrageiro, a palma também se presta à alimentação humana, e à jardinagem. Neste último caso pode ser plantada individualmente ou em grupos, como cerca-viva nas variedades mais dotadas de espinhos, ou mesmo em vasos para decoração. Deve ser cultivada a pleno sol ou a meia-sombra.

Em plantações no México, onde é nativa, a produção atinge quatrocentas toneladas por hectare, dez vezes maior que a do Nordeste brasileiro.


No Brasil a área plantada, cerca de 500.000 Ha., na Região Nordeste e estados de Goiás, Mato Grosso e Minas Gerais, é destinada precipuamente à obtenção de forragem para alimentar os rebanhos no período de estiagem.  Seu cultivo para a produção de frutos é ainda emergente no país, concentrando-se em São Paulo, na região de Valinhos, e, de forma incipiente, nos estados de Pernambuco e Paraíba. Do total produzido em São Paulo, apenas uma pequena parte é destinada ao mercado interno, enquanto a maior parcela é exportada para a Europa e Estados Unidos, onde existe o hábito de consumo deste fruto, considerado exótico (Souza, 2005; García & Valdez, 2003; Glass, 2005).

Uso zoo-técnico:


A palma apresenta uma boa digestibilidade pelos ruminantes, sendo uma alternativa de forragem durante as estiagens nas regiões sujeitas a esta situação climática, nos Estados Unidos da América, México, África do Sul, Austrália e Nordeste do Brasil. Embora adaptável a estes lugares, suas qualidades nutritivas são inferiores às de outras forrageiras, como sorgo, capim-elefante e milho, por exemplo
Seus valores nutricionais são, em média: matéria seca 6,38%; proteína bruta (11,44%), com altos valores de extrato etéreo e carboidratos não-estruturais, observando-se ainda matéria mineral. As raquetes possuem, segundo pesquisas, valor nutricional similar à silagem de milho

propriedades nutricionais:

Esta planta é rica em cálcio, potássio, sódio e também oferece glicídios, componentes nitrogenados, fibras, vitaminas dos grupos A, B, C e K, clorofila, riboflavina e proteínas. Muitos são os estudos e pesquisas que afirmam que o cacto é realmente valioso para a saúde das pessoas, ajudando os sistemas glandular, nervoso, imunológico, circulatório, digestivo e respiratório.

Pode-se consumir de diferentes formas: sucos, molhos, em pó, doces, com carnes, saladas, geleias, sopas, caldos, combinado com cereais, frutas ou linhaça. Para seu uso gastronômico, o cacto é usado como forragem e seus cachos são tão macios como uma verdura, que se prepara o escabeche,por exemplo. É muito popular usá-los em batidas com frutas.

Receita
Quibe de broto de palma com soja

  • Ingredientes:
1 xícara de chá de azeite;
1 colher de chá de açúcar;
1 colher de sobremesa de sal;
4 copos de palma fatiada em tirinhas;
4 copos de soja texturizada ou carne moída.
  • Modo de fazer

Lave a raquete da palma; retire os espinhos e ferva por três minutos em água com um pouco de vinagre para retirar a substância viscosa ou "baba". Passe os temperos em uma panela e adicione a carne moída ou a soja, deixando refogar tampada. Adicione a água aos poucos, até que a carne/soja fique suave. Misture a palma até reduzir o caldo ao mínimo. Coloque em uma travessa e cubra com a nata ou creme de leite (opcional). Decore e sirva acompanhado de purê de batata doce, batatinha, inhame, aipim, polenta ou xerém.

propriedades medicinais:


Poderoso antibiótico: inibe ou suspende diretamente o crescimento e desenvolvimento de várias bactérias. O cacto é usado como um cataplasma (seus cachos) e tem efeitos muito bons para a pele, tanto em feridas como em infecções.
 
Trata a arteriosclerose: essa inflamação cardiovascular causada pela placa do vaso sanguíneo pode ser tratada com essa planta, já que é antioxidante e anti-inflamatória. Consumir regularmente o suco de cacto fresco ou em pó ajuda a prevenir o aparecimento desta doença.

Não permite proliferar o câncer: o cacto tem muitas fibras dietéticas, solúveis e insolúveis. As últimas absorvem a água e ajuda os alimentos em sua “passagem” pelo trato digestivo. Sendo assim, melhora a digestão e são as encarregadas de diluir a concentração de células, que podem ser potencialmente cancerígenas no cólon, prevenindo a aparição desta doença.

Ajuda a regular o colesterol:
graças aos aminoácidos, a vitamina B3 e as fibras. O cacto previne, por sua vez, o excesso de açúcar no sangue e sua conversão em gordura, pelo que reduz de maneira substancial o colesterol “ruim” e os triglicérides. Elimina, ainda, os ácidos biliares, que se tornam colesterol.

Melhoram o trabalho do cólon: devido aos seus ingredientes ativos, ajudam na prevenção da absorção de gordura e carboidratos. Mantêm o balanço do nível do sangue e ajudam a controlar a obesidade. O cacto tem fibras que absorvem a glicose até o intestino. Mantendo, dessa forma, esse órgão limpo e em excelente estado.

Regula o diabetes: melhor dizendo, o nível de açúcar no sangue para os que sofrem com essa condição. Graças aos 18 aminoácidos presentes na planta, o corpo terá mais energia e reduzirá a fadiga, pelo que a glicose também baixará. Fortalece o fígado e o pâncreas e aumenta a sensibilidade à insulina, estimulando o movimento de glicose em todas as células do corpo. Também diminui a digestão de carboidratos, reduzindo a produção de insulina.

Melhor a digestão: pelas vitaminas do grupo B (1, 2 e 3) e C, além do cálcio, do potássio, magnésio, sódio e ferro. Com seu poder antioxidante, nos dá grande proteção ante as toxinas que são ingeridas com a comida e reduz os efeitos prejudiciais da ingestão de álcool ou determinados alimentos “pesados”.

Evita a prisão de ventre: as fibras que o cacto contém ajudam na digestão, como dito anteriormente, pelo que evita os problemas para ir aos banheiro.

Um aliado contra a obesidade: devido às grandes quantidades de fibras que contém, ajudando a retardar o processo de absorção dos alimentos e a entrada dos nutrientes no sangue, facilitando também sua eliminação. Permite que os líquidos cheguem mais rápido à corrente sanguínea, ajudando a diminuir a celulite e a retenção de líquidos. Recomenda-se consumir o cacto com sucos, como o de laranja, por exemplo. As fibras insolúveis que ele tem geram a sensação de saciedade e evitam que comamos mais. E, como se fosse pouco, regula o movimento intestinal para a evacuação correta.

Fortalece o sistema imunológico: isto se deve ao fato de que o cacto oferece muitas vitaminas, sobretudo, as dos complexos A, B e C. Também aporta minerais e muitos aminoácidos que ajudam a eliminar toxinas, desintoxicar o fígado e eliminar os efeitos nocivos da contaminação ambiental, os ambientes com fumaça de cigarro, os problemas que derivam do álcool etc. Pelos fotoquímicos ajudam o corpo a se defender de qualquer ataque de vírus ou bactérias.

Previne o sistema imunológico:
ajuda, por sua vez, a relaxar, a alcançar melhores estados de ânimo e até pode ajudar a erradicar problemas de depressão ou desequilíbrios sentimentais.

É um excelente diurético: o suco de cacto é usado para desinchar o sistema urinário e reduzir as dores nos rins ou bexiga.

Fontes: 
https://pt.wikipedia.org/wiki/Opuntia_cochenillifera
http://marusasaki.blogspot.com.br/2012/08/palma-serve-como-alimento-isso-mesmo-o.html 
https://melhorcomsaude.com/propriedades-curativas-cacto/
https://www.criasaude.com.br/fitoterapia/palma-cacto.html 












































Comentários

  1. Muito bom! Gostaria de obter mudas ou sementes. Poderia me indicar algum site para venda desta Palma?

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelo comentário! Neste site você pode encontrar mudas: www.mfrural.com.br

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Olá eu tenho um cacto que me dá a sensação ser parecido a este aqui apresentado . Existe maneira de mandar uma foto para me esclrecerem? Obrigada

    ResponderExcluir
  5. Muito bom o conteúdo. Peguei umas mudas na beira da estrada. Agora vou plantar em casa

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!

Postagens mais visitadas deste blog

Boa-noite - Catharanthus roseus.

Xique-Xique (Pilocereus gounellei)