Pages

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Nem parece ser no planeta Terra!

11 lugares que parecem de outro planeta

O planeta Terra é tão grande e diverso que parece conter cenários que poderiam ser encontrados em qualquer planeta afora. Crateras que pegam fogo constantemente, cavernas que brilham, enormes colunas de pedra que parecem desfiar as leias da física e incríveis cavernas e túneis de gelo reluzente são apenas algumas das opções. 

Para você se sentir em um filme de Star Wars ou em um episódio de Star Trek, listamos 11 lugares tão impressionantes ao redor do mundo que parecem ser de outro planeta. Confira:

Glowworm Caves - Waikato, Nova Zelândia

As Glowworm Caves, em Waikato, na ilha Norte da Nova Zelândia, são uma das principais atrações turísticas do país. Iluminadas naturalmente por vermes bioluminescentes que vivem no teto e brilham para atrair suas presas, as cavernas de Waitomo certamente garantem uma experiência de outro mundo. Para visita-las é preciso pagar por um barco com guia, que faz explicações sobre as cavernas.

Parque Namib Naukluft - Namíbia

Se Marte estivesse cheio de troncos de árvores secas, provavelmente não seria muito difícil confundi-lo com o Parque Namib-Naukluft. O parque inclui parte do Deserto da Namíbia, considerado o deserto mais antigo do mundo, e os montes Naukluft. Ao todo, são cerca de 50 mil quilômetros quadrados de dunas, árvores mortas de mais de quinhentos anos de idade e paisagens impressionantes. A cidade mais próxima é a capital, Windhoeck.

Wulingyuan - Hunan, China

A fascinante Wulingyuan, na província chinesa de Hunan, é uma área verde com mais de três mil torres e pilares de pedra, que se destacam entre árvores e cachoeiras – não é à toa que também é conhecida como Floresta de Pedra e não é difícil confundi-la com uma paisagem de Avatar. A região é considerada pela UNESCO um dos 48 Patrimônios da Humanidade listados na China.

Parque Nacional Vatnajökull - Islândia

O Parque Nacional Vatnajökull, a cerca de cinco horas de Reykjavík, guarda a enorme geleira de mesmo nome, onde você pode encontrar literalmente cavernas formadas na maior massa de gelo da Islândia – ela cobre cerca de 8% do país. Todas as cavernas, de diferentes tamanhos e formatos, são de tirar o fôlego. A má notícia é que, por estarem em uma geleira, elas podem acabar desaparecendo de um ano para o outro. O parque também guarda o incrível Jökulsárlón, um lago cheio de icebergs dos mais variados formatos.

Dallol - Etiópia

Dallol é uma localidade na Etiópia que detém o recorde de região habitada mais quente do mundo. O que atrai turistas é a zona geotermal cheia de piscinas ácidas de cor amarelada ou alaranjada, formações de sal e gêiseres que emitem gases constantemente. A paisagem é certamente única.

Fly Geyser - Nevada, EUA

Localizado em terra privadas em Washoe County, Nevada, o Fly Geyser ainda não é uma atração turística muito conhecida. Os gêiseres, que mais parecem estruturas alienígenas, na verdade foram criados pelo ser humano, em 1964, quando água escaldante começou a pular para fora de um poço cavado ali. As cores impactantes, no entanto, são fruto do trabalho de algas.

Antelope Canyon - Arizona, EUA

O Antelope Canyon, no Arizona, é certamente o cânion estreito mais fantástico do mundo. Para visita-lo, é necessário reservar um tour – você não vai querer se perder em meio aos estreitos túneis de arenito formados por enchentes relâmpago e fortes ventos. O passeio é muito buscado por fotógrafos amadores e profissionais, e certamente não é difícil entender o porquê – com boas condições de luz e o equipamento adequado, é possível tirar fotos que dificilmente parecem ser deste mundo.

Salar de Uyuni - Bolívia

O deserto de sal da Bolívia, Salar de Uyuni, é uma incrível obra da natureza e uma das principais atrações turísticas do país. Ele é considerado o maior deserto de sal do mundo - com mais de dez mil quilômetros quadrados no sul da Bolívia. Em épocas mais úmidas, quando o chão está molhado, ele se torna um grande espelho e garante paisagens de outro planeta.

Socotorá - Iêmen

Socotra, no Iêmen, é um arquipélago perdido em meio ao Oceano Índico. Graças ao seu isolamento, suas ilhas têm uma grande quantidade de espécies únicas. Uma delas é a peculiar árvore Dracaena cinnabari, que está espalhada por todos os cantos. Como se a aparência já não fosse esquisita o suficiente, saiba que seu nome pode ser traduzido para árvore de sangue de dragão, devido a sua cor avermelhada. É conhecida entre nós como dragoeiro.

Darvaz - Ahal, Turcomenistão

A Cratera de Darvaz é também conhecida como Porta para o Inferno e não é difícil entender o porquê. A atração, na província de Ahal, no Turcomenistão, é famosa pelo fogo que queima em seu centro sem parar desde 1971. Isso acontece pela grande quantidade de gás metano retido no subsolo daquela região. Quando surgiu, a cratera liberou grandes quantidades do gás na atmosfera, o que era um problema, então optou-se por queimá-lo, mas ele continua queimando desde então.

Pamukkale - Denizli, Turquia

Pamukkale é uma palavra turca que pode ser traduzida para castelo de algodão. O nome certamente faz referência à paisagem branca. Próximo a Denizli, na Turquia, é formada pelo acúmulo de minérios e possui 17 piscinas naturais de águas termais. No topo do “castelo”, você encontra a cidade greco-romana de Hierapolis. Ambas são consideradas patrimônios mundiais da UNESCO e, portanto, para preservação, não é permitido se banhar ali, mas só apreciar a vista já é mais do que suficiente.


Fonte: https://www.msn.com/

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!

 

Blogger news

Nº de Visualizações

About