Pages

quinta-feira, 19 de julho de 2018

12 Maravilhas Naturais

As Cataratas do Iguaçu são maravilhosas e o nosso país certamente está cheio de maravilhas naturais. O que falta por aqui são maravilhas naturais um pouco fora do padrão, como um lago cor-de-rosa, uma floresta cheia de torres de pedra, montanhas multicoloridas ou desertos completamente brancos – e tudo isso existe mundo afora! Para te ajudar a planejar sua próxima viagem, o Guia da Semana listou 12 maravilhas naturais um tanto quanto peculiares para você conhecer.

Wulingyuan | China

A fascinante Wulingyuan, na província chinesa de Huan, é uma área verde com mais de três mil torres e pilares de pedra, que se destacam entre árvores e cachoeiras – não é à toa que também é conhecida como Floresta de Pedra. A região é considerada pela UNESCO um dos 48 Patrimônios da Humanidade listados na China.

Vinicunca | Peru

A Vinicunca, também conhecida como Montanha de Sete Cores ou Montanha Arco-Íris, é uma montanha nos Andes que alcança uma altitude de 5200 metros acima do nível do mar, na região de Cusco, no Peru. Sua grande variedade de cores se deve à enorme quantidade de minerais que se encontram por ali. A melhor época para visita-la é agosto, quando é seco, já que em épocas de chuva é mais difícil distinguir as cores.

Calçada dos Gigantes | Irlanda do Norte

A Calçada dos Gigantes é provavelmente o item mais famoso da lista, talvez por já ter aparecido até em um dos filmes de Harry Potter. Outro Patrimônio Mundial da UNESCO, a região concentra cerca de 40 mil colunas prismáticas de basalto no condado de Antrim, na Irlanda do Norte. Diz a lenda que um gigante irlandês construiu uma calçada conectando a Irlanda e a Escócia para lutar contra um gigante escocês, e o que existe lá hoje foi tudo o que sobrou. Já os geólogos atribuem à formação ao rápido resfriamento da lava de um vulcão - acredite no que quiser.

Rio Subterrâneo de Puerto Princesa | Filipinas

O Rio Subterrâneo de Puerto Princesa faz parte de uma área protegida nas Filipinas, cerca de 80 quilômetros a norte do centro da cidade de Puerto Princesa. O parque é protegido pelo governo do país desde 1992. É possível chegar ao rio subterrâneo através de uma pequena caminhada ou de barco, saindo da cidade de Sabang. Em 2010, um grupo de estudiosos descobriu que o rio subterrâneo tem dois andares, o que significa que ele também guarda algumas pequenas cachoeiras subterrâneas. Ao todo são mais de 8 km de rio subterrâneo, sendo 4 km navegáveis.

Socotra | Iêmen

Socotra é um arquipélago pertencente ao Iêmen entre o chifre da África e a Península Arábica. Graças ao seu isolamento, suas quatro ilhas têm uma grande quantidade de espécies únicas. Uma delas é a peculiar árvore Dracaena cinnabari, que está espalhada por todos os cantos. Como se a aparência já não fosse esquisita o suficiente, saiba que seu nome pode ser traduzido para árvore de sangue de dragão, devido à sua cor avermelhada, mas ela é mais conhecida entre nós como dragoeiro.

Pamukkale | Turquia

Pamukkale é uma palavra turca que pode ser traduzida para castelo de algodão, e não é difícil entender o porquê. A paisagem branca, próximo a Denizli, na Turquia, é formada pelo acúmulo de minérios e possui 17 piscinas naturais de águas termais. No topo do “castelo”, você encontra a cidade greco-romana de Hierapolis. Ambas são consideradas patrimônios mundiais da UNESCO e, portanto, para preservação, não é permitido se banhar ali, mas só apreciar a vista já é mais do que suficiente.

Catedral de Mármore | Chile

A Catedral de Mármore é uma fascinante caverna no Chile formada por milhares de anos de erosão das ondas, responsáveis pelas belas curvas que garantem ao espaço a semelhança com o mármore. As águas coloridas do Lago Carrera, próximo à fronteira com a Argentina, destacam ainda mais as cores das paredes. Em dias de águas calmas, é possível alugar um caiaque e navegar por ali.

Rochas deslizantes de Racetrack Playa | Estados Unidos

O Vale da Morte, na Califórnia, é uma área de extremos climáticos e é casa de um fenômeno muito peculiar: as rochas deslizantes de Racetrack Playa, que acontece especialmente no lago seco conhecido como Recetrack Playa – traduzido livremente para praia dos rastros. A planície está lotada de pedras – algumas que chegam a pesar centenas de quilos – que se movem por metros e deixam rastros por onde passam. O fenômeno foi um mistério por muito tempo, mas hoje é explicado pela rara combinação de chuva com frio – que forma uma fina camada de gelo deslizante –, e o vento forte, que empurra as rochas.

Deserto Branco | Egito

O nome do Deserto Branco, no Egito, também conhecido como Farafra, diz tudo. Suas dramáticas paisagens são formadas por enormes dunas de areia branca e maravilhosas pedras em formatos variados – desde cogumelos até algo que se assemelha a bonecos de neve – também brancas. Lá você aprende que existem, de fato, muitos tons de branco. A área é protegida, mas você pode visita-lo em rotas específicas.

Antelope Canyon | Estados Unidos

É difícil acreditar que esta imagem seja real, mas é! O Antelope Canyon fica localizado no Arizona, nos Estados Unidos, e é certamente o cânion estreito mais fantástico do mundo. Para visita-lo, é necessário reservar um tour – você não vai querer se perder em meio aos estreitos túneis de arenito formados há muitos anos por enchentes relâmpago e fortes ventos. O passeio é muito buscado por fotógrafos amadores e profissionais, e certamente não é difícil entender o porquê – com boas condições de luz e o equipamento adequado, é possível tirar fotos que dificilmente parecem ser deste mundo.

Cavernas de Gelo| Islândia

Escondidas na famosa geleira Vatnajökull, a cerca de cinco horas de Reykjavík, as Cavernas de Gelo são literalmente cavernas formadas na maior massa de gelo da Islândia – ela cobre cerca de 8% do país. Todas as cavernas, de diferentes tamanhos e formatos, são de tirar o fôlego. A má notícia é que, por estar em uma geleira, uma caverna pode acabar desaparecendo de um ano para o outro.

Lago Hillier | Austrália

Estamos acostumados com lagos de águas cristalinas, águas azuis e até águas verdes – mas águas cor-de-rosa? Pois acredite! Localizado na maior ilha do arquipélago de Recherche, na Austrália Ocidental, o Lago Hiller é uma das maravilhas naturais do país graças à sua permanente cor rosa. Acredita-se que a coloração se deve a microrganismos que produzem um tipo de tintura vermelha. Apesar da cor extravagante e as grandes quantidade de sal, é completamente possível mergulhar no lago, mas chegar lá é muito difícil. A melhor forma de apreciá-lo é através de voos cênicos

Fonte: https://www.msn.com/

Galeria:























































0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!

 

Blogger news

Nº de Visualizações

About