Pages

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Ipê Verde - Cybistax antisyphilitica

Estudos científicos comprovaram a eficácia do extrato de ipê-verde contra a larva do mosquito Aedes aegypti, que é o principal transmissor da dengue.

Árvore medicinal, excelente para plantio em calçadas ou recuperação de áreas degradadas, praças, parques, jardins, avenidas e ruas, principalmente as estreitas.




Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Lamiales
Família: Bignoniaceae
Género: Cybistax
Espécie: C. antysiphilitica
 

Características Gerais:



Árvore de médio porte, 6 a 18 metros de altura, em geral com tronco tortuoso e de casca grossa, características de árvore do Cerrado. Ocorrendo na região de Mata Atlântica, pode ter o tronco ereto. Folhas digitadas com cinco folíolos. 

As flores são verdes, difíceis de se distinguir entre as folhas. Vagem bipartida de 25 cm, preta quando madura, casca grossa com ranhuras, que se abre liberando sementes aladas em forma de coração, com asa transparente. Germinação fácil, desenvolvimento lento

 Sinonímia

- Bignonia antisyphilitica Mart.,
- Bignonia quinquefolia Vell.,
- Yangua tinctoria Spruce,
- Bignonia viridiflora Lodd.,
- Cybistax quinquefolia (Vell.) J. F. Macbr.,
- Cybistax sprucei K. Schum.,
- Cybistax subtomentosa K. Schum.,
- Cybistax coriacea var. barbatula Corr. Mello;


Etimologia

O nome ipê quer dizer, em Tupi, "na água", referindo-se provavelmente a utilização dessa madeira na construção naval.

Morfologia

  • Caule
Tronco de 15-40 cm de diâmetro, em geral tortuoso, de casca muito espessa, escura e fendida longitudinalmente.
  • Folhas
Folhas compostas por 5 folíolos dispostos na extremidade da haste de sustentação, de 15-20 cm de comprimento. Saem todos de um mesmo ponto, abrindo-se como dedos em uma mão. Cada folíolo, oval, mede 718 cm.
  • Flores
Flores verde-claras, em formato tubular, de 7 cm de comprimento, aparentemente cobertas de pó, dotadas de pelos quase invisíveis em seu interior, protegidas por um conjunto de sépalas brancas, finas e plissadas, de 16 mm de comprimento, e reunidas em curtos cachos.
  • Frutos
Fruto elíptico e alongado, do tipo cápsula seca, que se abre espontaneamente quando maduro, de até 25 cm de comprimento por 5 cm de largura e 2,5 cm de espessura, marcado com 12 estrias longitudinais, dotado de uma divisória em seu interior, onde se alojam inúmeras sementes.
  • Sementes
Vagem bipartida de 25 cm, preta quando madura, casca grossa com ranhuras, que se abre liberando sementes aladas em forma de coração, de núcleo coberto por pequenas estrias e circundado por tecido tênue e transparente, de 2,5 cm de comprimento, por 4-5 cm de largura. 

Cultivo:

O ipê-verde é uma espécie pioneira, não muito exigente com as condições do solo, e que pode ser cultivada em locais secos e em pleno sol.

Por isso, é muito indicada para a recuperação de áreas degradas. Ela cria sombra para as espécies secundárias, o que acelera o processo natural de regeneração da vegetação.

Como outros representantes da sua família botânica, perde totalmente suas folhas em determinada época do ano.


  • Reprodução por mudas
Colocar as sementes para germinar, logo que colhidas, em canteiros contendo solo organo-argiloso rico em matéria orgânica, cobrindo-as levemente as sementes com substrato peneirado e irrigar diariamente. A emergência ocorre em 15-25 dias e a germinção de sementes geralmente abundante em torno de 60%. Transplantar as mudas para embalagens individuais quando com 5-6cm. O desenvolvimento das mudas é lento, ficando prontas para plantio no campo em 5-6 meses.  

  • Reprodução por semente
Colher os frutos da árvore, quando iniciarem a abertura espontânea. Secá-los ao sol, para completar o processo de liberação das sementes.

Para evitar que o vento leve as sementes durante a secagem, cobrir os frutos com malha metálica.
 


Colocar as sementes para germinar em canteiros ou em recipientes individuais contendo substrato organo-argiloso.

Transplantar as mudas para o local definitivo de plantio com 5-6 meses. O desenvolvimento das plantas no campo é lento. Espaçamento é de
6 a 10 m entre plantas.

Utilização

Pelo porte forma incomum da copa, é ótima para o paisagismo, principalmente para a arborização de ruas estreitas.

Planta pioneira, não deve faltar no reflorestamento de áreas de preservação permanente.

A madeira não possui as mesmas propriedades que o ipê-roxo e o ipê-rosa. Ela é leve, pouco resistente e apodrece com facilidade em ambientes úmidos e em contato com o solo. Mesmo assim, pode ser aproveitada para carpintaria.

Madeira leve a moderadamente pesada (densidade de 0,59 g/cm³), de tecido frouxo, de média resistência mecânica e pouco resistente ao apodrecimento quando em ambientes externos.



Uso medicinal

O uso medicinal das folhas auxilia no tratamento de úlceras.

Como sugere seu nome científico tem como principal uso o combate à sífilis, cujas partes utilizadas para os preparos são a casca e ramos jovens. 


Ecologia

  • Origem
Acre, Amapá, Amazonas, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo.
  • Habitat
Amazônia, Cerrado, Mata Atlântica, Pampa  

  • Dist. Geográfica
O ipê-verde é nativo do Brasil, mas também ocorre em outros países.

Em território nacional pode ser encontrado nos Estados do PA, TO, MA, PI, CE, BA, MT, GO, MS, MG, ES, SP, RJ, PR, SC e RS.

Essa espécie pertence aos biomas Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica e Pantanal.















Fontes:
https://www.tudosobreplantas.com.br
http://www.globaltree.com.br
https://www.sementesarbocenter.com.br







0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!

 

Blogger news

Nº de Visualizações

About