Pages

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Entomofagia. Vai experimentar???

Entomofagia é o nome dado à prática de comer insetos. Para muitas sociedades, os insetos também são uma iguaria. Por aqui parece repugnante,  mas globalmente falando, 2 bilhões de pessoas no planeta não torcem o nariz e já complementam, na boa, suas dietas com insetos, tais como gafanhotos, besouros, formigas e muitos outros, entre as mais de 800.000 espécies conhecidas pelos entomologistas.

Um relatório da ONU, divulgado em maio de 2013, destacou a importância do papel dos insetos comestíveis na luta contra a fome no mundo. Não por acaso, os bichos são tão consumidos na superpopulosa Ásia e na hiper-explorada África.

Por exemplo, 100 gramas de grilos contêm 121 calorias. Apenas 49,5 calorias provêm de gordura – o valor nutricional está nos 12,9 gramas de proteína e nos 75,8 miligramas de ferro. Eles também têm cerca de 5 gramas de carboidratos.

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO, na sigla em inglês), acrescenta que a criação de insetos em escala industrial poderia contribuir para a segurança alimentar mundial.

Além de serem, como vimos, altamente nutritivos e fáceis de reproduzir, também podem ser usados como alimentos para peixes e misturados na forração para o gado.

O relatório, no entanto, destaca que a repugnância de muitos consumidores, especialmente de países ocidentais, ainda constitui uma forte barreira a ser vencida até que se concretize a inclusão deste modelo de alimentação na dieta global.

O site Fox News fez uma seleção de insetos comestíveis e destacou que nos EUA há festivais anuais em diversos estados que promovem a entomofagia. "Chamo de alimentação verde do futuro", disse o expert e professor de biologia aposentado Hal Daniel, que acredita que com o aquecimento global, haverá redução na produção de alimentos e seremos obrigados cada vez mais a degustar os insetos para manter a sustentabilidade futura.

Larva de palmeira:



Consumida em países como Malásia, Nigéria e Papua Nova Guiné, é rica em proteínas, potássio e cálcio. Essa larva gorducha pode ser consumida in natura, diretamente retirada da madeira, tostada, furta e dizem que crua tem gosto de coco e, frita, lembra bacon.

Formigas: 


Na Austrália, a formiga de mel tem barrigas do tamanho de uvas, cheias de um néctar açucarado apreciado pelos Aborígenes. Na Colômbia, tosta-se o traseiro de formigas cortadeiras, que têm sabor de pipoca ou amendoim. Já os tailandeses consomem as formigas vermelhas e suas larvas salteadas ou em saladas. O sabor pode ser adocicado e meio ácido. Aqui no Brasil nós temos a Tanajura (foto acima), apreciada especialmente aqui no Ceará. 

Maria-fedida: 


Rica em vitamina B, este inseto é devorado por mexicanos e sul-africanos, que mergulham a maria-fedida em água quente para remover seu aroma ruim antes de comer. São apreciados como recheios de tacos no México e consumidos cozidos e desidratados na África, como petiscos. O sabor é uma mistura de canela e iodo.

Tarântula: 


Uma iguaria para cambojanos e venezuelanos, a aranha é, tradicionalmente, frita no óleo quente, com sal, açúcar, alho e pimenta antes de ser vendida inteira. As patas são crocantes, enquanto a barriga é grudenta. O sabor lembra uma mistura de caranguejo com nozes.

Cupins: 


Não só os tamanduás curtem este inseto, mas também os moradores do Oeste africano, da Austrália e de partes da América do Sul. Cru, ele é salgadinho ou tem gosto da madeira que consumia. Também podem ser consumidos fritos ou assados e têm sabor adocicado como o de cenouras.

Larvas Huhu: 


Apreciadas na Nova Zelândia, estas larvas gordas são encontradas em madeira apodrecida e são consideradas uma iguaria consumidas cruas ou salteadas. É um alimento rico em proteínas, com sabor de manteiga de amendoim.

Larva de vespa: 


No Japão a iguaria preparada com as larvas de vespa amarela se chama hachinoko e elas são cozidas no molho de soja e açúcar até ficarem crocantes. Algumas vespas adultas também são inclusas no prato que tem sabor adocicado e crocante.

Cigarra: 


É consumida no Japão, China, Ásia e partes dos EUA e tem sabor de aspargos. Por viver 17 anos embaixo da terra, a cigarra só sai da toca para reproduzir e morrer e os caçadores as apanham antes que a casca endureça para fritá-las ou salteá-las e consumi-las, já que tem até 40% de proteínas.

Libélula:



Na Indonésia este inseto é consumido cozido ou frito e tem sabor similar ao da concha macia dos caranguejos.

Ovos de formigas: 



Os ovos da formiga negra gigante Liometopum é chamada de caviar dos insetos no México, e é colhido das plantações de agave, planta da qual é feita a tequila. Podem ser cozidos ou fritos e consumidos nos tacos e tortilhas. O sabor é amanteigado, lembrando nozes, com a mesma consistência de queijo cottage.

Mandorovás: 



Diversos tipos de lagartas são comidas em todo o mundo, mas este tipo de mandorová, com coloração azul e verde, é considerado uma iguaria em países como Botsuana, África do Sul e Zimbábue. Elas são espremidas, secas no sol ou defumadas e servidas com molhos e ensopados. O sabor é amanteigado.

Grilo: 



Tostados e crocantes, são servidos no México com chile e limão, em barracas na cidade de Oaxaca, como se fossem salgadinhos. O sabor é salgado e apimentado.

Casulo do bicho-da-seda: 



Vietnamitas, chineses e coreanos apreciam os casulos fritos ou cozidos e o sabor é semelhante ao de camarões desidratados, mas com uma consistência suculenta.


Escorpião



Este aracnídeo é servido como um lanchinho ou um kebab frito em países como Vietnam, Tailândia e China. O sabor lembra camarão com casca. 

Fontes: 
https://www.terra.com.br
http://www.materiaincognita.com.br

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!

 

Blogger news

Nº de Visualizações

About